São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Julho 11, 2017 - 22:40

PF abre inquérito para investigar Carlinhos na Operação Lava Jato

PF

Denúncia. Procuradoria de São José recebeu denúncia na última semana e pediu abertura de inquérito

Foto: /Rovena Rosa/ Agência Brasil

Procuradoria vai convocar ex-diretor da Odebrecht para prestar novo depoimento. Ex-prefeito diz que está tranquilo e destacou que as doações recebidas durante a campanha foram legais e aprovadas pela Justiça Eleitoral

Hernane Lé[email protected]
São José dos Campos

A Polícia Federal vai abrir inquérito contra o ex-prefeito de São José dos Campos, Carlinhos Almeida (PT), para investigar denúncia de suposto favorecimento a Odebrecht na edição de uma emenda parlamentar à época em que ele era deputado federal. O petista foi citado em delação premiada da Lava Jato por um ex-executivo da empresa, que associou uma contribuição de R$ 50 mil feitas ao político às mudanças promovidas na tributação do setor de Defesa.

O Ministério Público Federal de São Paulo enviou na última semana a petição de investigação do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin à Procuradoria de São José, que vai conduzir juntamente com a PF as apurações da suposta irregularidade mencionada pelo ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, Cláudio Melo Filho.

"Vou abrir inquérito, mas não tenho previsão de conclusão. É uma matéria complexa e demorada, que depende de diversas coisas, inclusive de perícia contábil. É um processo volumoso", explicou o delegado da Polícia Federal de São José, Vinícius Loque Sobreira.

O pedido de instauração de inquérito à PF foi feito pelo procurador de São José, Ângelo Augusto Costa, responsável pelo processo de investigação. "Demos um direcionamento bem detalhado à Polícia Federal. Vamos apurar a relação do Carlinhos com a empresa, ver se ela se estendeu também para as eleições de 2016", afirmou Costa.

A partir da abertura do inquérito, a PF tem 30 dias para devolver o processo e suas conclusões ao MPF para análise. "É praxe que esse período seja estendido por mais 90 dias, principalmente nesse caso. Ele tem prioridade, o problema é que não possuímos uma estrutura, uma equipe dedicada somente à Operação Lava Jato como acontece em Curitiba (PR)", explicou o procurador.

Ângelo Costa adiantou ao OVALE que vai convocar Carlinhos Almeida e o ex-executivo da Odebrecht, Cláudio Melo Filho para nova oitiva "O delator prestou um depoimento em Brasília de apenas oito minutos, ele tem muito mais a falar". Após a conclusão do processo em São José, a denúncia pode ser oferecida à Justiça, arquivada ou encaminhada a outra unidade do MPF, como São Paulo e Brasília para finalizar as apurações.

DELAÇÃO.

Carlinhos Almeida foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República com base na delação premiada de Cláudio Melo Filho. Segundo ele, o petista articulou, a pedido da Odebrecht, alterações na Medida Provisória 544/2011, que criava um regime tributário especial para a indústria do setor Defesa. Após a aprovação da MP, a empresa fez uma doação para a campanha de Carlinhos a prefeito em 2012.

Em nota encaminhada à reportagem, Carlinhos disse estar com a consciência tranquila e que nunca temeu nenhum tipo de investigação. Ele acrescentou ainda que a MP foi fundamental para fortalecer a indústria nacional de Defesa que está quase toda instalada na região e que a Medida "entrou em vigor muito antes do momento em que me tornei candidato à prefeito e recebi a doação de forma legal"..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO