São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Agosto 30, 2017 - 23:44

Base governista tenta acelerar a votação de dois projetos incômodos em São José

Plenário

Desgaste. Base governista na Câmara quer se livrar de projetos que criam desgaste com a população

Foto: /Flávio Pereira / CMSJC

Governo Felicio Ramuth (PSDB) articula com partidos da base aliada soluções para acelerar a votação dos projetos que irão reajustar o valor do IPTU e unificar a taxa de lixo em São José; PT quer fazer valer os prazos

João Paulo [email protected]
São José dos Campos

O governo Felicio Ramuth (PSDB) articula com partidos da base aliada soluções para acelerar a votação dos projetos que irão reajustar o valor do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e unificar a taxa de lixo em São José dos Campos.

A análise de aliados da administração é de que, se a proposta demorar a ser votada, o prefeito ficará "sangrando" por mais tempo. Aumento de tributo costuma gerar desgaste à prefeitura e também aos vereadores em seus redutos eleitorais.

O líder do governo na Câmara, vereador José Dimas (PSDB), pretende intensificar o diálogo com a bancada do PT, com o objetivo de encurtar os prazos de tramitação dos projetos. Os petistas, no entanto, resistem.

"Gostaríamos que fosse aprovado já nesta quinta-feira", afirmou Dimas. "É possível analisarmos emendas do PT. Estamos abertos ao diálogo. Não vamos reprovar só porque é da oposição", completou o líder do governo.

Os projetos foram encaminhados por Felicio em rito de urgência na quinta-feira passada. Para que os textos sejam votados hoje, portanto, é necessário que a oposição abra mão do prazo regimental de emendas.

"Não vou pactuar com um projeto que penaliza as pessoas", afirmou o líder do PT na Câmara de São José, vereador Wagner Balieiro.

 SAIA JUSTA

Os vereadores da base governista admitem que a população repudia aumento de imposto, mas defendem a necessidade do reajuste no IPTU e a unificação da taxa do lixo.

"Ninguém gosta de mexer no bolso. O governo tomou cuidado para onerar o menos possível. Só que a população vai cobrar as melhorias na cidade. É um debate que nunca vai agradar todo mundo. Mas a adequação nos valores precisa ser feita", disse o vereador Robertinho da Padaria (PPS).

"A população nunca gostou nem vai gostar de aumento. Temos que nos posicionar contrários quando a situação é discrepante. Não é o caso", afirmou Lino Bispo (PR).

Secretário de Finanças defende projeto de unificar a taxa do lixo em São José

O secretário de Gestão Administrativa e Finanças, José de Mello Correa, defendeu ontem os projetos encaminhados à Câmara de São José, sobretudo a unificação da taxa de lixo na cidade.

Imóveis residenciais e apartamentos, de todos os níveis, pagarão R$ 87 por ano à Prefeitura de São José. Hoje, casas mais simples chegam a pagar R$ 17. Outras, de alto padrão, desembolsam cerca de R$ 150. Se o projeto for aprovado, todas terão valor único.

"A taxa do lixo hoje, para uma retirada diária, é de R$ 1,50 por mês. Isso não cobre o sistema. Nós chegamos a um valor de R$ 7,25 por mês justamente para pagar o sistema, que estava sendo subsidiado", disse o secretário de Finanças.

"Por lei, temos que aprovar até o fim de setembro, para que a gente tenha três meses para aplicação", completou..

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO