São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Setembro 27, 2017 - 23:27

A QUEBRA DOS SIGILOS

Com a quebra dos sigilos fiscal, bancário e telefônico de Carlinhos Almeida, caso dos kits pode ser desvendado


O escândalo da compra de kits escolares para os alunos da rede municipal de ensino, em São José dos Campos, foi o primeiro grande abalo sofrido pelo ex-prefeito Carlinhos Almeida (PT) à frente do Paço.

A suspeita de superfaturamento, que recaiu sobre a compra dos materiais para o ano letivo de 2014, virou denúncia do Ministério Público à Justiça. O caso manchou uma das principais vitrines da gestão petista na cidade.

Na maior parte dos itens pesquisados, os preços pagos pela prefeitura à época ficaram acima dos praticados pelo varejo. Foram, por exemplo, comprados 9.000 pacotes de palitos por R$ 11,16. Em papelarias, era possível encontrá-los a R$ 2,40. A administração culpou um 'erro de digitação', mas o estrago estava feito.

Nos anos seguintes, Carlinhos enfrentou a ação da Promotoria e da oposição na Câmara, que instalou uma CEI (Comissão Especial de Inquérito) para apurar o caso. No Legislativo, como é de praxe, nenhuma revelação que mereça destaque. Já o MP juntou fortes indícios de irregularidades e os encaminhou à Justiça.

O ex-prefeito está sendo investigado e, vale destacar, precisa ter garantido o amplo direito de defesa. As urnas, porém, já fizeram o julgamento do petista em outubro do ano passado. O episódio dos kits escolares, sem dúvida, pesou na avaliação negativa do mandato. Soma-se ao caso outras pontos polêmicos da conturbada administração, encerrada em grave crise de caixa.

O programa lançado em 2013, em si, é extremamente valoroso. Tanto é verdade que continuou nos anos seguintes e foi mantido pelo atual prefeito Felicio Ramuth (PSDB), adversário de Carlinhos Almeida no pleito do ano passado. Embora a gestão tucana tenha abolido o uso do termo kit.

A entrega de materiais escolares, nos próximos anos letivos, precisa continuar no município. Principalmente em um momento onde as famílias enfrentam dificuldades financeiras. Mas a sociedade também carece de uma resposta ao que aconteceu no início do governo passado.

A quebra dos sigilos fiscal, bancário e telefônico do ex-prefeito, acusado de superfaturamento na licitação para compra de kits escolares, é um passo importante neste sentido. Culpado ou não, a cidade precisa ter esse episódio esclarecido de uma vez por todas..

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO