São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Esporte
Setembro 04, 2017 - 23:41

Eliminada na última divisão, Águia tenta se reorganizar para 2018

São José x União

São José x União

Foto: /Rodolfo Moreira/Jornal Joseense

Presidente chegou a anunciar que deixaria o cargo, mas voltou atrás na noite desta segunda; na próxima temporada, São José amargará mais um ano na quarta divisão

Marcos Eduardo [email protected]
São José dos Campos

A eliminação em casa para o União de Mogi, no último domingo, nas quartas de final do Campeonato Paulista da Quarta Divisão, deixa o futuro do São José indefinido. Logo após a derrota por 2 a 0 no estádio Martins Pereira, o presidente Adílson José da Silva chegou a anunciar em entrevista à Rádio Cultural FM que se afastaria do cargo. Nesta segunda-feira, no entanto, voltou atrás da decisão.

Em entrevista ao OVALE, o presidente da Águia do Vale havia confirmado durante a tarde desta segunda a decisão de renunciar, alegando problemas pessoais para deixar o cargo, dizendo, inclusive, que a decisão era definitiva. Horas depois, em uma reunião no período da noite, foi convencido por outros diretores e alguns conselheiros a seguir no cargo. "A minha decisão é definitiva. São problemas particulares, mas sempre vou estar à disposição para ajudar o São José, já que sou conselheiro vitalício. O São José precisa de alguém com mais disposição e tempo livre para comandar o clube", havia dito Adílson, no período da tarde.

Segundo a assessoria de comunicação do clube, ao menos por enquanto, ele ficará como presidente. O dirigente ressaltou  que todos os salários dos jogadores estão em dia este ano. "Não estamos devendo nada para ninguém. Dia 10, agora, vamos acertar o próximo vencimento. Contamos com a ajuda de alguns amigos durante o campeonato", afirmou o presidente da Águia do Vale. Ainda de acordo com a assessoria de comunicação, o departamento de finanças do São José já teria pago nesta segunda os jogadores, que foram liberados.

Adílson foi eleito em novembro do ano passado, assumindo a presidência no lugar do polêmico Benevides Ferneda, o 'Geleia', que durante sua gestão pegou o São José na Série A-2 e entregou na última divisão do Estado.

OCIOSIDADE.

Com a eliminação nas quartas de final, a Águia do Vale tem dois problemas pela frente. O primeiro, saber que no ano que vem novamente vai ter que disputar a deficitária Quarta Divisão do Estado. Outro, é que o clube vai ficar cerca de sete meses sem entrar em campo, já que a competição costuma começar no mês de abril.

Neste período, a diretoria que der continuidade terá a missão de montar a estrutura e iniciar a base do time para a disputa da próxima temporada. O técnico Francisco Oliveira e os jogadores têm contrato até outubro deste ano, após o encerramento do campeonato. 

Na derrota em casa no último domingo, mais de 5.000 pessoas estiveram no estádio Martins Pereira, mas não adiantou. Após a partida, o choro e a tristeza estampada no rosto dos jogadores da Águia contrastavam com a alegria dos atletas mogianos e os cerca de 150 torcedores do time da Grande São Paulo que vieram a São José dos Campos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO