São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Setembro 06, 2017 - 23:31

Retomada da Arena de Esportes de São José terá custo adicional de R$ 50 milhões

Arena Esqueleto

Esqueleto. Vista da Arena de Esportes: obra foi paralisada em maio de 2013, no governo Carlinhos

Foto: /Rogério Marques/OVALE

Levantamento de custos para a conclusão da Arena foi entregue ao prefeito Felicio Ramuth (PSDB) na última semana. Valor inclui a conclusão do ginásio, a construção do estacionamento e as mudanças no sistema viário

João Paulo [email protected]
São José dos Campos

Se o cronograma de obras fosse seguido à risca, a Arena de Esportes completaria três anos de conclusão nesta sexta-feira. Mas o feriado não será de festa. A retomada da construção custará mais R$ 50 milhões à Prefeitura de São José dos Campos, saldo inexistente nos cofres da administração.

O levantamento de custos para a finalização da Arena, elaborado pela Secretaria de Obras, foi entregue ao prefeito Felicio Ramuth (PSDB) na última semana. O valor informado inclui a conclusão do ginásio, a construção do estacionamento e mudanças no sistema viário do entorno.

"Esquece os R$ 33 milhões. Hoje, gastaria-se R$ 50 milhões para concluir tudo o que está previsto, independentemente daquilo que foi gasto", afirmou Felicio.

"Como eu disse, na época da campanha eleitoral, é impossível fazer essa obra com recursos próprios. A gente vai atrás de financiamentos, programas estaduais e federais, para ver se pode nos ajudar", completou o tucano.

O complexo esportivo teve início em agosto de 2011 pela construtora Recoma. O projeto foi interrompido pelo governo Carlinhos Almeida (PT) em 16 de maio de 2013, após uma avaliação apontar alterações no projeto durante a execução da obra.

O caso está na Justiça. Um perito irá verificar se a paralisação em 2013 foi correta ou não. Este também seria um entrave para o recomeço das obras no canteiro.

CONTRAPONTO.

O líder do PT na Câmara de São José, vereador Wagner Balieiro, afirma que os problemas na Arena eram anteriores à paralisação, inclusive com desconfiguração do projeto original. "Foi sendo realizada uma outra obra, completamente diferente da que foi licitada. E, com isso, foram aumentados os custos originalmente previstos", disse o parlamentar.

"E tem um detalhe: essa obra começou sem ter todo o recurso. O governo do Cury, no último ano, virou o ano para o governo Carlinhos sem deixar recurso para a continuidade da Arena", completou o líder do PT na Câmara.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO