São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Outubro 31, 2017 - 23:55

NA BASE DA CORRERIA 

Aliados do prefeito de São José, Felicio Ramuth (PSDB), iniciam tentativa de calar voz do cidadão na Câmara


A base aliada do prefeito Felício Ramuth (PSDB) na Câmara de São José dos Campos tem se notabilizado por criar desgastes desnecessários. Começou na crise dos supersalários, em fevereiro deste ano, quando uma votação relâmpago garantiu sobrevida a 16 cargos com previsão de extinção.

Depois, os governistas resistiram em punir o colega de bancada Maninho Cem Por Cento (PTB), que usava assessor de seu gabinete para vender anúncios do jornal Comunidade, periódico que mantém em circulação na Vila Industrial, zona leste da cidade.

A mais recente: parlamentares aliados do governo Felicio Ramuth (PSDB) articulam mudanças nas regras da Câmara de São José para garantir a aprovação, sem dificuldade, de temas polêmicos que chegam ao Legislativo. 

O absurdo não acaba aí. Uma emenda quer a extinção da Tribuna Livre, prevista no regimento interno do Legislativo, mas que jamais fora usada. 

Após representação popular, o Ministério Público propôs ao presidente Juvenil Silvério (PSDB) um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) para que a regra seja cumprida. Ou seja, que às quartas-feiras a população tenha voz e vez na Casa (do Povo?).

Mas, como se a opinião do público fosse algo desimportante, a base governista simplesmente decidiu "driblar" a Promotoria. Propôs uma emenda para excluir do regimento a Tribuna Livre.

O argumento: "a efetiva instalação da Tribuna Livre todas as quartas-feiras, às 20, acarretará na mobilização de servidores das mais diversas áreas, como administração e imprensa, que já trabalham nas sessões ordinárias (terça-feira e quinta-feira), nas sessões extraordinárias e demais solenidades; no aumento de gastos como energia elétrica, água e material de escritório".

Fosse do interesse ouvir o munícipe, bastava à Câmara de São José mudar o regimento interno e fazer valer a Tribuna Livre em dias de sessão ordinária, como acontece em Taubaté, onde o cidadão se inscreve e tem o direito de se manifestar antes da abertura dos trabalhos dos vereadores. Se dinheiro é o problema, esta solução não oneraria os cofres do Legislativo.

A base aliada do prefeito Felício Ramuth caminha, a passos largos, para uma insustentável relação com o morador de São José. E ainda a legislatura só está começando..

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO