São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Novembro 07, 2017 - 23:13

OS NÚMEROS DA SAÚDE

Compra de consultas vai desafogar sistema público, mas projeto da Prefeitura de S. José está longe da meta inicial


Em um sistema público de saúde cada vez mais inchado, ações para aumentar o número de atendimentos são sempre importantes. O prefeito de São José dos Campos, Felicio Ramuth (PSDB), vem desde o início do mandato adotando medidas neste sentido, mas tropeça em números e metas.

Um exemplo é a proposta de contratar 110 mil consultas médicas ambulatoriais nas áreas de clínica médica, ginecologia e pediatria. O modelo, apresentado pelo governo como "inovador", atraiu inicialmente apenas dois profissionais. Motivo: o valor era baixo, de R$ 22 por atendimento na rede.

Reconhecendo o fracasso, aumentou-se o valor para R$ 28. Desta vez, o interesse de profissionais da saúde aumentou. Mas, ainda assim, não chega nem perto das tais 110 mil consultas para um período de seis meses.

O prefeito tem dito que qualquer consulta extra é importante para resolver os "gargalos" da rede. E tem razão.

Porém, se existe uma demanda superior a 100 mil atendimentos em seis meses, conclui-se que a atual gestão ainda precisa avançar muito mais neste sentido.

A terceirização do Hospital de Clínicas Sul, que será concluída em dezembro deste ano, ainda precisa ser mais bem detalhada pela gestão tucana. Claro, se o discurso oficial for levado ao pé da letra, haverá reforço no atendimento nas unidades de saúde.

O governo, entretanto, ainda não revelou quais são as metas de aumento de consultas com o reforço desses médicos e enfermeiros em UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de São José. Sem essa informação, o paciente fica impossibilitado de cobrar a atual administração futuramente.

Fato é que o cidadão, até o momento, tem ouvido muitos anúncios e promessas, mas dados oficiais mostram redução no número de consultas em relação ao ano passado.

Espera-se que os resultados comecem a aparecer. Em outubro, a prefeitura ampliou os repasses aos hospitais Antoninho da Rocha Marmo e Pio 12. Do anúncio aos resultados, há um longo caminho. É justamente neste percurso que a administração não pode se perder, sob o risco de colocar a vida dos pacientes em risco.

O esforço está sendo feito, mas quando os resultados de fato irão aparecer? Essa é a dúvida de todo cidadão..

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO