São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Dezembro 18, 2017 - 23:40

TEMPORADA DE CHUVAS

Não precisa ser meteorologista para saber que, no verão, chuvas castigam moradores. E o que fazem os prefeitos?


Não precisa ser especialista em climatologia ou meteorologia para saber que, entre novembro e março, as chuvas castigam moradores da região Sudeste. A intensidade dos temporais costuma variar, mas sempre há estragos importantes. E a RMVale registra anualmente enchentes, deslizamentos e até mortes causadas pela força das águas.

Diante disso, não dá para culpar São Pedro. Os prefeitos têm oito meses para montar ações para diminuir os riscos aos moradores. É possível fazer obras de galerias pluviais e desassoreamento de córregos, com objetivo de aumentar a capacidade de escoamento de águas e evitar pontos de enchentes nas cidades.

O prefeito Ortiz Junior (PSDB) prometeu em 2014, segundo ano de seu mandato, um pacote antienchente para Taubaté. A cidade, naquele ano, havia ficado submersa após temporais semelhantes ao desta segunda-feira, quando uma tempestade castigou os moradores em diversos pontos do município.

Se o anúncio tivesse sido cumprido pelo tucano, talvez o impacto da chuva pudesse ter sido menor. Agora, a nova promessa é concluí-lo com o empréstimo do CAF. Ou seja, Taubaté vai passar mais um verão desguarnecido.

Em São José, o prefeito Felicio Ramuth (PSDB) iniciou antecipadamente os investimentos contra a chuva. Além do desassoreamento de córregos, o governo tucano vai tocar as obras antienchente no Jardim Augusta, região central da cidade. É um passo importante.

Mas, na região norte, moradores temem deslizamentos em áreas de risco. A intensidade das chuvas desta segunda-feira mostra que a prefeitura precisa reforçar o trabalho nesses locais e em outras áreas de risco espelhadas pelo município.

Em geral, políticos que costumam enxergar votos em cada decisão tomada relutam em fazer ações antienchente.

Afinal, são medidas que pouco aparecem e, dificilmente, rendem imagens para a campanha de reeleição.

Pior. Se ocorrer algum grande estrago, o prefeito já tem o discurso pronto: culpa a natureza pelo desastre. Mas, em cidades bem planejadas, raramente a população sofre com os temporais.

A forte chuva desta segunda-feira convida os moradores a refletirem. O que tem sido feito de concreto pelo poder público nesta área?.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO