São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Esporte
Janeiro 03, 2018 - 23:04

Kalindra embarca para os EUA para nova luta no UFC

Kalindra Faria UFC

PREPARADA. Kalindra Faria, de Taubaté, na apresentação de sua primeira luta de UFC na carreira, em 2017

Foto: /Arquivo

Lutadora taubateana vai encarar a norte-americana Jessica Eye no dia 14

Marcos Eduardo [email protected]
Taubaté

A taubateana Kalindra Faria quer fazer de 2018 um ano ainda mais inesquecível em sua carreira no octógono. No dia 9, ela embarca para os Estados Unidos, onde no dia 14 encara a norte-americana Jessica Eye em seu segundo desafio na carreira pelo UFC (Ultimate Fighting Championship), a principal competição de MMA do mundo. A disputa será na cidade de Saint Louis, no estado do Missouri.

A representante da região quer dar a volta por cima após a frustrante estreia no ano passado, quando perdeu para a italiana Mara Romero Borella, em outubro, quando pela primeira vez na vitoriosa carreira competia na principal categoria mundial. "A expectativa agora é a melhor possível, pois da outra vez, fiquei sabendo que iria para o UFC apenas dez dias antes da luta e estava há praticamente um ano sem competir, vindo de várias lesões, além do nervosismo natural da estreia. Infelizmente, naquela oportunidade a vitória não veio", disse Kalindra, nesta quarta-feira, ao OVALE, por telefone.

Desta vez, ela vai competir na recém-criada categoria peso-mosca (até 57 quilos). "Conversamos bastante, vimos onde estávamos falhando e vamos tentar corrigir", afirmou.

OUTRA REALIDADE.

Desta vez, Kalindra teve bastante tempo para se preparar antes desta nova disputa. "Duas semanas depois da primeira luta, já fiquei sabendo do próximo compromisso. Então, deu para estudar melhor a adversária. A gente sempre treina pensando em ganhar", disse.

Em 12º lugar no ranking do UFC, Kalindra Faria prevê um duelo 'eletrizante' contra Jessica Eye, que também vem de derrota. Em caso de vitória, Kalindra já sonha com passos ainda mais largos no UFC. "Se eu vencer, vou subir várias posições no ranking da categoria e, ainda por cima, ganho o direito de pedir uma luta contra alguém do 'top 5'", disse..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO