São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Janeiro 12, 2018 - 23:42

Estado pressiona professor para aprovar alunos, afirma Apeoesp

Diretoria regional de ensino de Taubaté

Ensino em xeque. Diretoria regional de ensino de Taubaté. Orientação sobre DPs viria do supervisor

Foto: Arquivo/OVALE

Denúncia feita pelo sindicato dos professores tem como base gravação de áudio feita durante o conselho final de uma escola, em que diretora da unidade pressiona os docentes para aprovar alunos que estavam com DP

Julio [email protected]

A Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) acusa a Secretaria de Educação do Estado de pressionar professores, por meio da diretoria de ensino de Taubaté, para modificar a avaliação final de alunos, com o objetivo de melhorar os índices da rede.

A denúncia tem como base uma gravação de áudio feita durante o conselho final de uma escola. Na reunião, a direção da unidade diz que o número de DPs (dependência, quando o aluno é reprovado em uma disciplina e terá que cursá-la novamente no ano seguinte) está elevado e solicita que os professores alterem os resultados.

Segundo a Apeoesp, esse tipo de situação é recorrente na rede estadual. A prática objetivaria melhorar os índices de ensino da rede e também de cada escola, para que a unidade recebesse o bônus anual que é dado pelo Estado quando a meta estabelecida é alcançada.

"Isso é muito ruim, acaba mascarando a verdadeira situação da educação", disse o coordenador da Apeoesp em Taubaté, Fernando Borges.

GRAVAÇÃO.

O áudio foi gravado na escola Professor Cesídio Ambrogi, no bairro Vila Nogueira, que tem cerca de 500 alunos no ensino médio. Na reunião, ocorrida dia 22 de dezembro, a diretora diz que o supervisor considerou elevado o número de alunos com DP (38), levando em conta também que outros 44 jovens abandonaram os estudos naquele ano.

A diretora pede que o conselho retire as DPs desses alunos, embora eles não tenham alcançado a média, que é 5.

Por unanimidade, os professores se recusaram a alterar as avaliações. Contrariada, a diretora diz: "vou ser bem franca. O que não mexer [no conselho], eu vou mexer".

Segundo professores ouvidos pela reportagem, na semana seguinte foi divulgada pela direção uma nova lista com resultado final. Pelo menos 15 dos alunos que estavam com DPs apareciam como aprovados sem restrição.

A denúncia foi feita à reportagem no início de 2018. Os professores dizem que no dia 5 de janeiro, dois dias após o jornal cobrar um posicionamento da Secretaria de Educação do Estado, eles foram informados pela direção da escola que a lista de alunos com DPs foi restabelecida.

Secretaria de Educação nega que haja orientação para alterar avaliações finais

A Secretaria de Educação do Estado negou que haja orientação para que as escolas alterem as avaliações finais dos alunos, para melhorar os índices da rede.

Sobre a reunião da escola, a pasta alegou que foi motivada pelo alto número de DPs em uma disciplina (História, com 28 DPs), mas afirmou que os resultados não foram alterados..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO