São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Fevereiro 01, 2018 - 07:12

Projetos estratégicos de Felicio vivem dia decisivo em São José

Bastidores. Felicio usa

Bastidores. Felicio usa 'colinha' para gravar selfie em evento no Paço

Foto: Rogério Marques / OVALE

Construção da Via Cambuí e a concessão do estádio Martins Pereira começam hoje a ter o futuro definido em São José: canteiro de obra do corredor viário será mobilizado e Urbam realiza concorrência da praça esportiva

Redaçã[email protected]

Dois projetos estratégicos do governo Felicio Ramuth (PSDB), a construção da Via Cambuí e a concessão do estádio Martins Pereira começam hoje a ter o futuro definido em São José.

O corredor viário, para interligar as regiões leste e sudeste da cidade, começa a sair do papel nesta quinta-feira, quando o Consórcio ED fará a montagem do canteiro de obras, limpeza e topografia do terreno na estrada municipal Glaudiston Pereira de Oliveira, na região sudeste.

Também hoje, às 9h30, a Urbam (Urbanizadora Municipal) realiza o processo de concessão onerosa do estádio Martins Pereira, principal praça esportiva da cidade.

O plano estratégico para o local vem sendo arquitetado pelo governo desde o primeiro semestre. O objetivo é reduzir custos de manutenção.

"O Martins Pereira custa, por baixo, R$ 450 mil por mês para poder se manter", afirmou o secretário de Governança, Anderson Farias, em entrevista à Mix FM.

Vence a concorrência pública do estádio quem oferecer a maior oferta. O valor mínimo será de 12 parcelas fixas de R$ 270 mil.

LIGAÇÃO.

A partir de hoje, a Via Cambuí tem prazo de 20 meses para ser entregue.

O complexo viário foi construído por meio de financiamento do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). O custo da obra será de R$ 90.397.044,67.

A construção da Via Cambuí terá início na rua Engenheiro Ricardo Hausen, localizada na Estrada Aeroporto - Tamoios, região sudeste, e seguirá até a avenida Juscelino Kubitschek na Vila Industrial, região leste da cidade. O prolongamento da rua Saigiro Nakamura também está no pacote.

Governo ainda tenta concluir processo de desapropriação

Embora comece nesta quinta-feira, o governo Felicio Ramuth ainda tenta concluir o processo de desapropriação de áreas. A principal delas, de 6.652 metros quadrados na região do Putim, está praticamente finalizada com a Davoli Empreendimentos Imobiliários.

No Residencial São Francisco, zona sudeste, nove famílias aguardam o desfecho do processo. A Via Cambuí vai cortar a rua onde moram.

A prefeitura informou na semana passada que "o trecho de início da obra já está liberado" e a construção não ficará atrasada.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO