São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Viver
Janeiro 23, 2018 - 00:36

Intérprete de Mazzaropi em 'Hebe - O Musical' conta bastidores da atuação

Mazzaropi

Mazzaropi

Foto: Catharina Figueiredo/Divulgação

Paula Maria [email protected]

Hebe Camargo e Amácio Mazzaropi. Ambos de Taubaté, tornaram-se na década de 1940 consagrados artistas da Tupi. Nas telas do cinema estiveram em "Zé do Piriquito" (1950), onde ela contracenou ainda com Agnaldo Rayol. E é a graças a amizade do "Bernard Shaw do Tucuruvi" e da então "Morena do Sumaré" que ocorre um encontro de ambos nos palcos de "Hebe - O Musical", uma homenagem a apresentadora, em cartaz no teatro Procópio Ferreira, em São Paulo.

Ela é vivida por Débora Reis, atriz com uma voz tão parecida com a de Hebe que impressiona os desavisados. Ele está na pele de Adriano Tunes, que optou por construir um cineasta que é uma mistura entre o próprio Mazzaropi e Jeca Tatu, figura vivida pelo taubateano nas telonas.

No palco, são apenas duas aparições do personagem, mas é o Mazzaropi lúdico que impera. "Eu sempre fui fã dele. Assisti a vários filmes antes mesmo de fazer parte desse musical, e já desejava interpretá-lo no teatro ou cinema", afirmou o ator, que tornou-se conhecido ao dar vida ao tecladista Júlio Rasec, em "Mamonas Assassinas - O Musical", em 2016.

Segundo ele, o humor que permeia a obra de Mazzaropi tem a mesma simplicidade das piadas de Rasec em vida, o que facilitou encontrar o tom da interpretação.

"O diretor, Miguel Falabella, nos deixou livre para criar. E essa mistura foi a forma que encontrei de mostrar que quem está em cena é o cineasta que todos conhecem", explicou. "E, algumas das piadinhas que solto como Mazzaropi são improvisos que imagino que ele faria naquele determinado momento da cena".

Ainda para Tunes, Mazzaropi é como Charlie Chaplin, um cara que não dependeu de contratantes para trabalhar. "Ele foi artista de circo, teve sua própria trupe. Depois abriu sua produtora de cinema, onde fez 32 filmes em que produzia, atuava e dirigia. Ele se auto contratava", riu o ator. "Estou em busca disso na minha carreira profissional e Mazzaropi é uma inspiração".

Encontros

Para buscar o cineasta taubateano dentro de si, Tunes foi além da imitação. "Geralmente, as pessoas acham que a gente observa e imita, mas o trabalho de um ator ocorre de dentro para fora", disse.

"O Mazzaropi tinha um tempo cômico minucioso, daqueles que se você não está atento, perde a piada. E eu gosto muito desse tipo de humor. Estaria mentindo se falasse que foi difícil encontrá-lo em mim", completou.

Nascido no interior de São Paulo, o Tunes iniciou sua carreira entre 1998, integrando o grupo Grutepasse, pertencente a uma igreja, onde aprendeu a trabalhar de forma coletiva.

"Em 2005 vim para São Paulo. Fui aluno, professor, trabalhei à bordo de cruzeiros. E minha carreira sempre pende para o humor. Me faz feliz fazer rir", contou.

Em musicais, sua estreia foi com "Alice, O Musical", produção independente. Então veio "Mamonas Assassinas - O Musical" e agora, como Mazzaropi, na homenagem a Hebe Camargo. "Esse personagem foi um presente. Sou grato à vida por me permitir essa profissão", afirmou.

Homenagem.

"Hebe, o Musical" homenageia a apresentadora, que saiu de terras valeparaibanas para ganhar a vida como cantora nas rádios e acabou alcançando o sucesso a frente de programas de TV, como "O Mundo é das Mulheres" (1955, Tupi) e "Hebe" (1966, Record/Tupi/Band/SBT/Rede TV!).

Inspirada no Music Hall francês, a peça "desenhada" por Falabella é como um teatro de revista. Seu roteiro é baseado em "Hebe - A Biografia" (ed. Best Seller), escrita pelo jornalista Artur Xexéo. Nele é possível acompanhar a trajetória profissional da cantora/apresentadora desde a sua infância em Taubaté até o sucesso em São Paulo, além de sua vida pessoal.

A equipe do musical é composta por 21 atores, orquestra com nove músicos e equipe técnica de mais de 30 pessoas. Além de Amácio Mazzaropi, atores representam Lolita Rodrigues, Nair Bello e Agnaldo Rayol, entre outros famosos. Risadas e lágrimas garantidas.

Serviço.

O teatro Procópio Fereira fica na r. Augusta, 2.823, São Paulo. Ingressos a partir de R$ 65 (ingressorapido.com.br)..

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO