São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Economia
Fevereiro 07, 2018 - 02:10

Vagas de primeiro emprego têm queda de 56% no Vale em 10 anos

Primeiro emprego

MERCADO. Daniela Aparecida Santos e a filha Julia no PAT nesta terça; ao lado, busca por posto de trabalho em São José.

Foto: /Rogério Marques/OVALE

Número de vagas abertas para o ingresso de jovens no mercado de trabalho cai pela metada na RMVale entre os anos de 2008 e 2017, de acordo com números oficiais disponibilizados pelo Caged, do Ministério do Trabalho

Guilhermo [email protected]

Novos dados oficiais do governo federal revelam que o número de trabalhadores que conquistaram o primeiro emprego no mercado de trabalho da RMVale teve queda de 56,9% nos últimos 10 anos, atingindo em 2017 o menor índice de toda a série histórica do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego, iniciada em 2007. Essa redução teve uma intensidade superior aquela registrada no geral de admissões na última década (-21%).

Em 2017, um total de 17.852 pessoas conseguiram o primeiro emprego nas 39 cidades do Vale do Paraíba. O número é o menor desde o início da série histórica, representando 10,2% do total das contratações do último ano (174.920). Já em 2008, os dados mostram que 41.509 jovens conseguiram o primeiro trabalho na região -- o equivalente a 18,74% das 221.478 contratações daquele ano.

O saldo (trata-se da diferença entre as contratações e demissões) em 2017 foi de -3.210 postos de trabalho, contra 26.438 no ano de 2008.

"Todos estão enfrentam dificuldades, mas para o jovem é ainda maior. Quem está no mercado, está perdendo vagas. Existe uma retração geral. É difícil a recolocação e os jovens, que buscam o primeiro emprego, vão ter ainda mais dificuldades", afirmou o economista Edson Trajano, do Nupes (Núcleo de Pesquisas Econômico-Sociais) da Unitau (Universidade de Taubaté).

O número de vagas de primeiro emprego no Vale em 2017 foi o menor de toda a série histórica -- o recorde antes era do ano anterior: 18.239 (2016), 22.762 (2015), 30.077 (2014), 32.888 (2013), 34.769 (2012), 39.605 (2011), 38.573 (2010), 33.996 (2009), 41.509 (2008) e ainda 35.586 (2007).

CIDADES.

Em São José, em 10 anos o número de vagas de primeiro emprego caiu 63,79% (de 15.283 para 5.533, na comparação entre 2008 e 2017). No último ano, o índice correspondeu a 9,16% das admissões, contra 17,6% uma década antes. Já Taubaté teve queda de 59,19% (de 7.075 para 2.887), com a participação tendo redução de 18,63% para 11,44% do total. Jacareí, por sua vez, teve diminuição de 57,10% (de 2.795 para 1.199), de 16,18% para 8,47%.

Desempregada faz um mês, a vigilante Daniele Aparecida Santos, 34 anos, está levando a filha Júlia Venâncio, de 14 anos, para acompanhar a busca por uma recolocação e para ainda tentar uma oportunidade também para a menina. "Trouxe a Júlia comigo para ela ver como está difícil a situação do desemprego, espero inserir ela no mercado de trabalho como estágio ou trainee" disse ela, que é moradora de São José..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO