São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Abril 02, 2018 - 23:40

Lição de casa na região

Vitrines de Alckmin na RMVale mostram que governador vai precisar caprichar mais para colocar a casa em ordem


No país que parece ter trocado o lema 'ordem e progresso', frase que estampa o pavilhão nacional, por uma desordem em progresso (progresso constante e desenfreado, é bom que se diga), já passou da hora de colocar a casa em ordem. Afinal, após o tsunami de lama que atingiu o meio político brasileiro, o Brasil transformou-se na Casa da Mãe Joana, onde o chamado fundo do poço parece não ter fim. Os representantes do eleitor brasileiro estão sempre escavando mais e mais profundamente as entranhas da nação, torcendo e retorcendo-as, parasitando os cofres públicos, sugando cada centavo possível e alimentando-se do fisiologismo canalha que tece a teia do atraso em Brasília. E, diante deste quadro, fazer a faxina ética e moral neste lamaçal passou a ser bandeira de 10 entre 10 políticos, inclusive daqueles que tanto prometem e prometem (atenção, este verbo é conjugado em qualquer tempo verbal, mas principalmente quando é tempo de eleição) mundos e fundos.

E, falando em casa, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), escolheu a RMVale, que é o seu 'berço' político, para dar a largada final à maratona de entrega de obras antes de deixar o Palácio Bandeirantes, no dia 7 (sábado), para lançar-se na disputa pelo Palácio do Planalto -- luta que promete ser bem acirrada, diante do cenário incerto que domina a política nacional.

Em 2018, o tucano intensificou a entrega de obras. E no Vale do Paraíba, onde ele começou sua carreira como vereador em sua cidade natal, Pindamonhangaba, Alckmin tem exibido algumas de suas vitrines, como a duplicação da Rodovia dos Tamoios e o prolongamento da Carvalho Pinto, a interligação da Bacia do Paraíba com o sistema Cantareira, além de investimentos na área de saúde. Até mesmo a segurança pública, que é calcanhar de Aquiles da região, a mais violenta do estado, teve o momento vitrine em 2018 -- já que está em curso aqui a Operação Rochedo, lançada depois da intervenção federal no Rio de Janeiro, para evitar a migração de bandidos para SP.

Mas e o que essas vitrines mostran de fato? Assim como outras, as obras sofrem com problemas como atrasos, aumento de gasto e ainda demora na concretização de investimentos. Exemplo? Veja o prolongamento da Carvalho, que foi entregue com o atraso de 25 meses e mais de 300% de alta nos gastos. E ainda há outros e mais outros exemplos mais.

Fazer a lição de casa, com capricho e zelo, é algo fundamental para quem se compromete a por a casa em ordem. Espera-se que o Vale sirva de modelo, mostrando que é preciso avançar mais..

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO