São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Abril 05, 2018 - 01:20

Segurança abriu o bico

Região mais violenta do estado, a RMVale está abrindo o bico no combate ao crime. Quando vamos deixar o topo?


Abriu o bico. Na RMVale, que é disparada a região mais violenta em todo o estado de São Paulo, a segurança pública está abrindo o bico. Apesar de ter registrado avanços nos últimos meses, tímidos é verdade, a segurança pública no Vale do Paraíba está abrindo o bico, como diz aquela popular expressão empregada para se referir a alguém que não teve fôlego para acompanhar o ritmo, que já cansou. E falando em cansaço, o morador da região já está cansado de viver em uma área que tem -- assustadoramente -- o dobro da taxa de homicídios por 100 mil habitantes registrada na capital paulista, a maior cidade do país. Atualmente, a taxa no Vale é de 13,28 homicídios a cada grupo de 100 mil habitantes, contra 6,53 em São Paulo e 7,74 no estado. Ao ultrapassar o índice de 10 vítimas por 100 mil habitantes, o quadro é considerado de violência endêmica. É uma epidemia na RMVale.

E até aqui o tratamento à doença se mostra insuficiente. E toda a região está cansada, já que esse quadro triste e inaceitável repete-se desde 2010, ano em que o Vale assumiu a dianteira deste ranking de violência (ou ranking de insegurança pública) no estado.

Em 2001, a RMVale era a quinta colocada, atrás da capital, Grande São Paulo, Baixada Santista e Campinas. O que houve? Por que o Vale tornou-se o patinho feio da segurança pública no estado?

O morador do Vale está cansado de ouvir as explicações da cúpula da polícia, que atribui o resultado ruim a questões como, por exemplo, a crise econômica, a localização geográfica da região, o tráfico de drogas e o perfil industrial que, em tese, a tornariam mais atrativa para os criminosos. Será?

Óbvio que não. Ou a região passou a estar localizada entre o Rio de Janeiro e São Paulo só depois de 2010? Antes não era? E a crise econômica, que fechou 46 mil vagas em quatro anos no Vale, ocorreu só aqui? E o combate contra o tráfico de drogas não é também responsabilidade da polícia?

A região está cansada do enxugar gelo das forças de segurança.

Está cansada também de ouvir a promessa de que será 'prioridade' na luta contra o crime, mas receber menos de 2% do reforço policial anunciado nos últimos anos. Está cansada de ver policiais civis e militares -- uma minoria, é bom que se diga -- presos pelo envolvimento com corrupção.

A segurança está abrindo o bico.

E, falando em bico, acredite ou não, em meio a tantos problemas no combate ao crime, a Câmara de Taubaté aprovou uma moção de apoio, assinada por 12 vereadores, em solidariedade à comandante Eliane Nikoluk, chefe da PM no Vale, que classificou como 'humilhação a utilização do termo 'Bico da PM' em uma reportagem de OVALE, que referia-se (e de forma positiva, diga-se) à Atividade Delegada.

A queixa foi feita em um desabafo nas redes sociais, daqueles que lembram as desequilibradas discussões adolescentes na web. E, vale destacar, o termo é utilizado, há anos, por jornais como a Folha e o Estado, sites como G1... e até mesmo já foi usado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Que papelão. Que tal ao invés de fazer bico, começar finalmente a dar um bico na violência?.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO