São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Abril 24, 2018 - 23:01

É A CÂMARA DA FANTASIA

Legislativo usa estudo inexistente para justificar aumento de 112,7% no vale-alimentação, que vai custar R$ 1,3 milhão


Encastelados, eles vivem às custas do dinheiro do contribuinte isolados em uma ilha da fantasia. Porém, diferente do conhecido seriado homônimo, que tanto sucesso fez na televisão da hoje já distante década de 1980, com personagens icônicos como, por exemplo, o misterioso senhor Roarke e o simpático anão Tatoo, esta ilha da fantasia está localizada no mundo real, bem real, apesar de ser afeito a devaneios dignos da ficção. Trata-se de uma ilhota que navega à deriva nos mares revoltos da avenida professor Walter Taumaturgo, número 208, bairro Jardim das Nações, em Taubaté, onde o interesse público parece mais um náufrago isolado. A ilha da fantasia responde pelo nome de Câmara Municipal, um lugar onde o discurso e a realidade parecem, inapelavelmente, divorciados -- assim como a vontade do eleitor e a de seus representantes.

Em reportagem publicada na página 4 da edição de hoje, OVALE revela que o Poder Legislativo se baseou em um estudo inexistente para justificar super aumento de 112,7% no valor do auxílio-alimentação para os servidores da Casa. Isso mesmo. Com o aumento, que passará a valer no próximo mês, o 'vale' vai passar de R$ 220 por mês para R$ 467,95 -- irá de R$ 10 para R$ 21,27 por dia.

E qual a justificativa?

À reportagem, a Casa afirmou, como descrito na página 4, que a medida tinha base em uma pesquisa do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) que havia apontado que o custo de vida do Vale do Paraíba é um dos mais altos do país. Segundo o diretor, o custo médio da refeição na região seria de R$ 27,19, ante R$ 34,49 na região Sudeste e R$ 34,14 no Brasil. O problema, no entanto, é que o Dieese não realizou esta pesquisa recentemente.

Os dados citados, na realidade, se referem ao estudo da ABBT (Associação Brasileira das Empresas de Benefício ao Trabalhador), que avaliou o custo do almoço em 50 cidades brasileiras -- Taubaté não está entre elas. O levantamento também não traz, diferentemente do que diz o Legislativo de Taubaté, o tal preço da refeição na RMVale, apontando só as informações de São José dos Campos. E vai sair salgado...

Entre maio e o fim da legislatura, em 2020, o aumento do auxílio-alimentação irá custar R$ 1,325 milhão. Em 2017, a Câmara já havia se baseado em uma decisão inexistente do STF (Supremo Tribunal Federal) para garantir que procurador da Casa recebesse mais do que o teto salarial da cidade.

Parece ou não a ilha da fantasia? Os trapalhões? Só que é real. E não tem graça nenhuma..

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO