São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Abril 30, 2018 - 22:15

PROMESSA E O SEU VOTO

Em ano de duelo nas urnas, o eleitor deve ter redobrada a atenção. Afinal, de promessas até o inferno está cheio


Escrito com a sabedoria popular, há um velho ditado que diz: promessa é dívida. Dito isso, agora cabe uma pergunta simples e direta: nossos governantes estão devendo? A questão, em ano eleitoral, ganha importância redobrada, uma vez que já está aberta, ainda que extraoficialmente, a nova temporada de caça aos votos do eleitor brasileiro. Armados com estratégias de marketing, capazes de dar uma roupa nova à velha política fisiológica que tanto suga o país, candidatos prometem lançar mão de uma variada série de artimanhas, como beijar criancinhas ou visitar aqueles bairros onde, depois de eleitos, jamais vão colocar os pés novamente. Mas, é fato, a principal arma empunhada na escaramuça diária pelos corações e mentes do eleitor é aquela boa e velha promessa, figurinha carimbada em todos os pleitos.

Em rodinhas de políticos, entre uma daquelas inaugurações com cunho eleitoreiro e outra, circula uma já antiga anedota a respeito de um candidato que bateu com as botas, como se fala nesses rincões do interior, em meio a uma eleição. Quando chegou ao céu, ainda na adrelina da disputa pelo voto, foi recebido por São Pedro, que mostrou o paraíso, com uma legião de anjos tocando as suas harpas. Tudo muito calmo.

'Quer entrar?', questionou-lhe o santo. Um tanto reticente, graças à 'falta de agito', o candidato solicitou permissão para conhecer o 'andar de baixo' antes de dar sua resposta. E foi para o inferno. Já de início, ouviu música tocando, foi servido com o melhor uísque, se deparou com mulheres estonteantes e muita diversão. E ficou maravilhado. Se divertiu.

Ao voltar para o andar de cima, para comunicar sua decisão para São Pedro, o candidato -- político que era -- agradeceu a oferta, mas declarou ter optado por passa a eternidade no andar de baixo. E desceu. Ao chegar ao seu destino, já na entrada, estranhou o ambiente, que em nada, nada mesmo, lembrava o lugar que ele havia conhecido. E afinal, onde estava a música? As festas? E as mulheres? E aquela diversão? Só havia sofrimento.

E ele questionou então o diabo: 'o que aconteceu? Ontem estive aqui e era tudo tão bom, porém agora, agora é um inferno. Vocês me prometeram um paraíso.' Então, recebeu a resposta: 'eu sei, é que ontem era campanha'.

A anedota, tão contada no ambiente político, dá a exata medida de como a promessa é utilizada nas campanhas eleitorais.

Por isso, principalmente durante os anos eleitorais, é preciso ficar em alerta. Afinal, de promessas e de boas intenções o inferno está cheio..

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO