São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Junho 05, 2018 - 23:03

Brasil, atlas e mortes

Levantamento revela que país tem mais de 60 mil vítimas de assassinato por ano. Números revelam uma 'guerra civil'


Sobre os ombros, o mundo. A mitologia conta que Atlas foi condenado por Zeus a suportar os céus para sempre, como punição por ter, ao lado de outros titãs, provocado desordem e caos em um feroz ataque perpetrado no monte Olimpo. Após triunfar, Zeus castigou seus inimigos. Atlas foi obrigado a passar a eternidade carregando todo o peso do planeta nas espaldas. Esse mito refere-se à carga que o homem mantém sobre seus ombros na luta cotidiana por sua sobrevivência. É pesada?

Outro Atlas, o que retrata a real e nada mítica violência que assola o país, revela nitidamente que sim, o fardo é extramente pesado. Divulgado nesta terça-feira, o Atlas da Violência 2018 mostra que 62.517 pessoas foram assassinadas no Brasil apenas no ano de 2016 -- isso equivale à taxa de 30,3 mortes por cada 100 mil habitantes. É uma guerra civil.

Os dados do Ministério da Saúde foram divulgados pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública).

Segundo a análise, a taxa de homicídios no Brasil corresponde a 30 vezes a da Europa, e o país já soma 553 mil pessoas assassinadas nos últimos 10 anos.

Traduzindo: o brasileiro tem 30 vezes mais risco de ser vítima de homicídio do que um europeu. É uma das mais altas taxas de todo o mundo, de acordo com o Atlas.

A violência letal contra jovens continua se agravando nos últimos anos e responde por 56,5% das mortes de homens entre 15 e 19 anos de idade. Na faixa entre 15 e 29 anos, a taxa de homicídio por 100 mil habitantes é de 142,7, e 280,6 para os homens jovens.

O problema se agrava ao incluir a cor da pele nesta análise. Nos últimos 10 anos, a taxa de homicídios de indivíduos não negros caiu 6,8% e entre a população negra subiu 23,1%, chegando à taxa de 40,2 homicídios a cada 100 mil indivíduos negros no ano de 2016 -- para o resto da população a taxa é de 16. Ou seja, 71,5% das pessoas assassinadas a cada ano no Brasil são pretas ou pardas.

Os pesquisadores ressaltam a importância da política de controle de armas de fogo para reforçar a segurança de todos.

Vale lembrar que a RMVale é a região paulista com a maior taxa de homicídios de SP (13,65).

Os dados do Atlas deixam claro que a tão pesada violência, gerada neste caldeirão de desordem e caos, nos fará lembrar desses tempos difíceis como os dias em que o céu caiu. Sobre nós..

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO