São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Junho 25, 2018 - 23:09

Números e a violência

Líder da violência em SP desde 2010, Vale tem os piores números de homicídio. Resta decorar outro número: 190


Números. Desde os tempos das cavernas, nos primordios da espécie humana, o homem sentiu a necessidade de contar. Cerca de 30 mil anos atrás, por exemplo, ainda sem a invenção de algarismos, os humanos contavam. Nesta época, para se alimentar, caçavam e coletavam raízes e folhas. Normalmente viviam em grutas buscando se proteger de animais ferozes e do frio. Em algumas dessas grutas, como a de Lascaux, localizada na França, foram encontrados desenhos feitos pelos homens dessa época.

São imagens de animais e outros sinais como pontinhos e riscos, formas primitivas de contagens. Já há 10.000 anos, os homens desenvolveram melhores técnicas de obter alimentos. Continuavam a caçar, mas passaram a cultivar plantas e criar animais. E precisavam contar o rebanho e a colheita, a passagem do tempo. Depois de usar pedras, gravetos e os dedos, o homem então inventou sistemas de numeração, como os sumérios, egípcios e maias. Hoje, os números nos ajudam em praticamente todas as nossas atividades, desde o troco na fila do café até os códigos de um smartphone.

Usamos os números até mesmo para medir violência, medo e insegurança.

E, nesse campo, os números não estão favoráveis ao Vale do Paraíba, infelizmente.

Em média, o morador da nossa região tem duas vezes mais risco de sofrer um homicídio do que o cidadão paulistano, por exemplo -- é o que apontam dados oficiais da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo.

Proporcionalmente, a RMVale tem 13,41 vítimas de homicídio a cada 100 mil habitantes. A média estadual é 7,52 e a do interior é 7,74. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a taxa 'tolerável' é de até 10 vítimas por 100 mil habitantes; acima disso, o quadro é de violência endêmica. Sim, endemia de violência.

São 140 vítimas entre janeiro e maio de 2018. Desde 2010, o Vale é o número 1 da violência.

Para este ano, mais do que nunca, o morador do Vale precisa se atentar a outros algarismos.

Ele deve pesquisar muito bem antes de escolher o nome (e o número também) dos candidatos que lutam pelo seu voto.

Por garantia, no entanto, é recomendável manter um outro número sempre à mão: 190..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO