São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Nossa Região
Junho 13, 2018 - 23:24

Praias do Litoral Norte estão entre as melhores do Estado

Caraguatatuba

Caraguatatuba

Foto: /Divulgação

Relatório de Qualidade das Praias Litorâneas da Cetesb aponta que as praias do Litoral Norte têm os melhores índices de balneabilidade de todo o litoral paulista, com 45,56% em condição ótima e boa para os banhistas

Xandu [email protected]

O Litoral Norte tem a melhor qualidade das praias do litoral paulista. É o que aponta relatório de balneabilidade da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo). Os dados referem-se a 2017.

De um total de 193 praias nas quatro cidades do Litoral Norte, mais a Ilha Anchieta (Ubatuba), a Cetesb avaliou 90 ao longo do na o passado, sendo que 45,56% delas tiveram condições ótima e boa de balneabilidade e só 5,56% de ruim e péssima, classificações que vetam as praias aos banhistas. A categoria regular ficou com 48,89%.

Nas 114 praias do Litoral Sul, incluindo a Baixada Santista, foram monitoradas 77 praias e 37,66% delas foram classificadas como ótima e boa, abaixo do índice do Litoral Norte. As praias ruins e péssimas foram 22,08% e as regulares, 40,26%.

No geral, a balneabilidade melhorou em todo o litoral paulista: "A porcentagem de praias classificadas como próprias, ao longo do ano de 2017, passou de 37% para 41%, com o aumento das praias boas de 31% para 36%", informou o setor de Águas Litorâneas da Cetesb.

Ubatuba foi a cidade do Litoral Norte com o maior percentual de praias consideradas ótimas e boas (57,69%), seguida de São Sebastião (53,33%), Caraguatatuba (40%) e Ilhabela (21,05%).

Mas também Ubatuba liderou o índice de praias ruins e péssimas, com 11,54%. Caraguatatuba teve 6,67% e Ilhabela 5,26%. Nenhuma praia vistoriada foi vetada para os banhistas em São Sebastião.

Segundo a Cetesb, como já observado em 2015 e 2016, a melhoria das condições das praias em 2017, de uma forma geral, se deve principalmente à redução dos índices pluviométricos em cerca de 30% no Litoral Norte, em relação à média histórica.

A ocorrência de chuvas contribui para o aumento da poluição difusa, levando detritos, lixo e impurezas da cidade para o mar e comprometendo o uso recreativo das águas.

Choveu 1.613 milímetros no Litoral Norte no ano passado, sendo que a média histórica apontava para 2.276 milímetros. Em 10 dos 12 meses do ano, a quantidade de chuva ficou abaixo da média histórica.

"A infraestrutura de saneamento básico é um parâmetro fundamental no controle da poluição fecal, com reflexos positivos nas condições de balneabilidade", diz o relatório da Cetesb..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO