São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Junho 28, 2018 - 23:09

Ortiz dá aval para licitação da obra de duplicação do viaduto do Barreiro

Viaduto do Cidade Jardim tem uma faixa em cada sentido

Tráfego. Viaduto do Cidade Jardim tem uma faixa em cada sentido e é principal gargalo do município

Foto: /Rogério Marques/OVALE

Prefeito assinou nessa quinta-feira a requisição para a contratação da obra de construção do novo viaduto do Cidade Jardim; esse serviço, que poderá custar até R$ 16,74 milhões, deverá ficar pronto no início de 2020

Da redaçã[email protected]

O prefeito de Taubaté, Ortiz Junior (PSDB), assinou nessa quinta-feira a requisição para a contratação da obra de construção do novo viaduto do Cidade Jardim.

O próximo passo é a abertura da licitação para definir a empresa que ficará responsável pela obra, que poderá custar até R$ 16,74 milhões.

O valor também inclui dois novos acessos à Via Dutra: um no km 111, na altura da Rodovia Oswaldo Cruz, e outro no km 112, ao lado do Habib's.

As obras serão custeadas com recursos do empréstimo do CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina). A previsão de conclusão é para o início de 2020.

O viaduto atual tem apenas oito metros de largura e é considerado um dos principais gargalos do trânsito taubateano. O novo viaduto vai ter 24 metros de largura, divididos em duas pistas com 9 metros cada e 3 metros de passagem de pedestres.

DEMORA.

A duplicação do viaduto foi prometida por Ortiz ainda na campanha de 2012.

Em 2014, o tucano passou a tentar 'terceirizar' a obra. Inicialmente ela seria feita pelo shopping Via Vale, em contrapartida a irregularidades no recebimento de uma área pública em Taubaté.

Depois, Ortiz passou a dizer que a obra seria feita pela CCR NovaDutra. A concessionária nunca confirmou isso.

Apenas em junho de 2016 o prefeito voltou a assumir a responsabilidade pela obra, pedindo que a CCR cedesse o projeto ao município.

No começo desse ano, houve uma nova mudança. Ortiz desistiu de usar o projeto feito pela concessionária. A alegação foi de que, nessa proposta, seria preciso demolir o atual viaduto para construir o novo, o que deixaria a região ao menos dez meses sem acesso.

Com o novo projeto, que custou R$ 143 mil, Ortiz visa "reduzir o impacto à circulação de veículos pela região", ao "aproveitar a estrutura do viaduto atual para complementar a sustentação das duas novas pistas. Desta forma não haverá necessidade de interdições"..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO