São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Julho 13, 2018 - 23:27

Só mais uma promessa?

Mais violenta região em todo o estado de São Paulo, Vale do Paraíba precisa ser a prioridade absoluta na segurança


O governador Márcio França (PSB) está de olho nas urnas e, para isso, colocou na mesa o que considera uma de suas melhores cartas para conquistar os eleitores.

Principal aposta de França, o projeto Alistamento Civil vai dar para jovens de 16 a 18 anos, em situação de vulnerabilidade, a oportunidade de qualificação cidadã e qualificação profissional em diversas áreas. Enquanto isso, ganham bolsa de R$ 500.

O mesmo projeto já havia sido aplicado em São Vicente, cidade em que o atual governador foi prefeito e chegou a ser reeleito com o incrível índice de 93% dos votos válidos. Seu governo, aliás, tinha a Segurança como uma bandeira.

O programa, que segundo o próprio França começa a engatinhar para ser um grande trabalho no futuro, parece um tiro certo: tirar jovens das ruas e dar a eles a chance de estudar em busca de oportunidades para o futuro.

Mas as prioridades do governador precisam ser explicadas para a população.

Aos fatos: o Vale do Paraíba é a única região do interior do estado a ultrapassar 100 homicídios em 2018 e, desde 2010, é a área líder de assassinatos na taxa a cada 100 mil habitantes. Dados oficiais do próprio governo estadual.

Outro fato: Grande São Paulo, Baixada Santista, Sorocaba, Araçatuba, Ribeirão Preto, Bauru, Araraquara, Campinas e Presidente Prudente receberão mais vagas que a RMVale no mais novo projeto do Estado. A nossa região, que precisava ser tratada como prioridade no combate ao crime, fica na lanterninha das oportunidades, ao lado de São José do Rio Preto, com apenas 100 vagas -- todas em Potim, como você pode ler na página 11.

Algo não está certo, não é? Quando recebeu OVALE em seu gabinete no Palácio dos Bandeirantes, em maio, o governador já havia falado maravilhas sobre o projeto, que é sua menina dos olhos. Mas, na prática, a proposta começou errando o alvo.

O Estado diz que as cidades foram escolhidas com base em índices como vulnerabilidade social, criminalidade e orçamento municipal per capita. Mas causa estranhamento que a cidade de São Vicente, base eleitoral do governador e 'exemplo' de Segurança para o próprio, ganhe 795 vagas a mais do que a região com mais homicídios de toda São Paulo.

Qual é a prioridade?.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO