São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Julho 04, 2018 - 22:55

Felicio e Estado assinam convênio para construção da Via Jaguari

Via Jaguari

Obras. Prefeitura afirma que um dos objetivos da Via Jaguari é reduzir caminhões nos bairros

Foto: Claudio Vieira / PMSJC

Prefeitura de São José e governador Márcio França finalmente firmam parceria para obra que vai ligar zona norte à região central da cidade; nova via custará R$ 15 milhões para o Estado e outros R$ 10 milhões para os cofres do município

Caíque Toledo @CaiqueToledo
São José dos Campos

A Prefeitura de São José dos Campos e o governo do Estado assinaram, nesta quarta-feira (4), o convênio para a construção da Via Jaguari, obra que ligará a zona norte à região central da cidade.

A via foi anunciada em março deste ano, e, desde então, o governo Felicio Ramuth (PSDB) aguarda pela assinatura do convênio, firmado agora com o governador Márcio França (PSB).

Ao todo, a obra custará cerca de R$ 25 milhões. Destes, R$ 15 milhões virão do governo estadual e outros R$ 10 milhões serão bancados pelo município.

Agora, a prefeitura se prepara ir atrás de licenças ambientais e para a publicação do edital e para os trâmites de licitação, que deve durar cerca de 45 dias. "Vamos agora para detalhamento do projeto, licenças ambientais... Passo a passo vamos tornando a Via Jaguari uma realidade", afirmou Felicio.

PROJETO.

Além da via, a obra contará com uma nova ponte sobre o rio Paraíba, na zona norte da cidade.

Segundo o governo, a intenção é reduzir o tráfego de caminhões nos bairros da região norte. A obra tem prazo de conclusão de dois anos a partir do início, e serão quatro quilômetros de via.

POLÊMICA.

O projeto foi alvo de polêmica na Câmara de São José, com debate entre os vereadores de PT e PSDB.

A Via Jaguari foi idealizada originalmente na gestão Carlinhos Almeida (PT), e a oposição ao governo Felicio alega que, inicialmente, o projeto seria custeado totalmente pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB).

"O Estado rompeu o convênio em 2014 e agora foi refeito com uma situação que gera mais custos para o município. Votamos a favor, é uma questão importante, mas é a mesma obra, só que agora o município coloca mais recursos e fica responsável", afirmou o vereador Wagner Baliero (PT), secretário de Transportes na gestão Carlinhos Almeida.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO