Logo Jornal OVALE

notícias

Frio, cirúrgico e eficiente. Esse é um resumo da atuação do Taubaté na estreia do Campeonato Paulista da Série A-2, no último domingo, quando venceu o Penapolense por 2 a 0, em Penápolis, deixando uma boa impressão ao torcedor da equipe da região. Embora o time não tivesse feito uma apresentação de gala, ao menos aproveitou as oportunidades de gol e não deixou o adversário pressionar com real perigo durante a partida. O ataque titular da equipe funcionou e agradou ao técnico Marcelo Martelotte. Afinal, Caio Mancha e Juninho marcaram um gol, cada. Agora, o Burro da Central já pensa na primeira partida em casa. Nesta quarta-feira, recebe o Rio Claro, a partir das 20h, no estádio do Joaquinzão. Os ingressos inclusive já estão à venda na loja oficial do clube, no Taubaté Shopping, e na sede social, que fica ao lado do estádio Joaquinzão. O torcedor também pode adquirir o carnê do programa sócio-torcedor, que dá direito a ver todos os jogo da equipe em casa no campeonato. RETORNO. Após a longa e cansativa viagem de volta de Penápolis, comais de 600 quilômetros de estrada, os jogadores do Taubaté voltaram aos treinos nesta segunda-feira à tarde, onde o trabalho foi mais regenerativo, por conta do desgaste. Autor do primeiro gol do Burrão, Caio Mancha estava contente com o desempenho pessoal e também do restante do grupo no domingo. "O importante foi sair de lá com os três pontos. Esse era o nosso principal objetivo e também da diretoria. Claro que fico satisfeito por fazer o gol, pois ajudei o time e o atacante precisa disso, para ficar em evidência. Agora, vamos dar sequência a esse ano maravilhoso, onde vamos em busca do acesso e do título", afirmou o atleta, durante a reapresentação do elenco. Segundo ele, o bom ambiente dentro do clube também ajudou para o começou positivo. "Desde a apresentação de todos, no dia 3, o clima tem sido muito bom. Aqui, todos almejam o mesmo objetivo e foi um dos fatores também que ajudou na estreia", disse. APERTADO. O técnico do Taubaté, Marcelo Martelotte, lamenta o pouco tempo de preparação entre um jogo e outro. Nesta terça, fará apenas um trabalho tático mais leve, por ser véspera da outra partida. "A gente tem muito pouco tempo para trabalhar. Não dá para fazer um treino muito intenso. Vamos passar a parte tática e um pouco das informações que a gente pôde colher do adversário", afirmou o técnico. "Teríamos outros aspectos a trabalhar, por ser início de temporada, mas fica difícil pelo tempo de treinamento. A gente acaba usando a partida, além da responsabilidade de buscar o resultado, também como treino para ganhar entrosamento", disse. O treinador ainda destacou a inteligência do time no jogo do último domingo. "Principalmente porque sabíamos que teríamos dificuldades no início, por conta do calor das 10h em Penápolis. Tivemos uma postura mais conservadora para jogadores chegarem inteiros no segundo tempo. Tiramos vantagem da situação e os jogadores controlaram bem a situação", afirmou Martelotte..
O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) cortou 2,6 mil famílias da RMVale do Bolsa Família em janeiro, na comparação com os atendidos em dezembro de 2018. O número de famílias atendidas no Vale do Paraíba caiu de 87.983 para 85.375, um corte de 2,96% no total de beneficiários. Trata-se da maior redução no número de famílias beneficiárias desde abril de 2018, quando o governo reduziu de 88,4 mil para 84 mil famílias nas cidades da região. Também é o menor número de famílias atendidas no Vale desde setembro do ano passado, quando o programa atendeu 83,8 mil famílias na região. Durante o governo do ex-presidente Michel Temer (MDB), o recorde de atendidos ocorreu em novembro de 2018, com 88,8 mil beneficiários. O menor número foi em julho de 2017, com 75,8 mil. A explicação do Ministério da Cidadania (ex-Ministério do Desenvolvimento Social) é que as mudanças no total de beneficiários são normais em razão dos mecanismos de controle e da entrada e saída de famílias do programa. Ainda segundo a pasta, a fila de espera para entrada no programa está zerada na região. As 85.375 famílias da RMVale receberão R$ 15,1 milhões do Bolsa Família em janeiro. O pagamento já está sendo feito e segue até o final do mês, obedecendo a calendário de depósito conforme o NIS (Número de Inscrição Social) dos beneficiários, impresso no cartão do Bolsa Família. EMPREGO. Segundo o ministro da Cidadania, Osmar Terra, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Bolsa Família será fortalecido em seu governo. Ele disse que a estratégia é ampliar as oportunidades de emprego e renda para os beneficiários. "Vamos casar o Bolsa Família com o Progredir para oferecer aos jovens e chefes de família acesso ao microcrédito. A ideia é que as pessoas tenham oportunidade de desenvolver projetos que lhe deem renda", disse Terra. Além disso, o ministro disse que a pasta negocia com as instituições do Sistema S e com o Ministério da Educação a ampliação e adequação de cursos profissionalizantes, de acordo com as demandas de cada município. "É um pacote que estamos montando para que o Bolsa Família atenda as pessoas na hora da necessidade, mas que também proporcione uma melhoria da qualidade de vida e da renda dessas pessoas". Outro compromisso do governo Bolsonaro é de pagar um bônus no final deste ano --espécie de 13º-- às famílias beneficiárias do programa..  
Itens da cesta básica de material escolar podem variar até 46% nos preços neste ano em São José dos Campos e Taubaté, na comparação com o ano passado. É o que mostra pesquisa do Nupes (Núcleo de Pesquisas Econômico-Sociais), da Unitau (Universidade de Taubaté), divulgada nesta segunda. Entre 10 e 15 de janeiro, os pesquisadores levantaram o preço médio de 12 itens de material escolar em 10 lojas, cinco em cada cidade. Os valores foram comparados com pesquisa feita no ano passado, no mesmo período. No geral, os 12 itens juntos ficaram mais baratos neste ano, passando de R$ 214,92 para R$ 205,63 (-4,32%). Do total, cinco produtos apresentaram queda e sete tiveram aumento de um ano para o outro. Entre as razões da queda, segundo o Nupes, estão importação de produtos chineses e queda da renda familiar. O recorde de alta foi da borracha, que saltou de R$ 1,50 para R$ 2,19, alta de 46,18%. A cola (40 gramas) vem em seguida, passando de R$ 2,17 para R$ 2,91, alta de 34,14%. A tesoura (13 centímetros) registrou aumento de 26,62%, subindo de R$ 5,59 para R$ 7,08 nas cidades. O caderno de capa dura (96 folhas) foi o que mais caiu: R$ 15,33 para R$ 10,13 (-33,91%). A caneta hidrocor (com 12) reduziu 19,19% (R$ 16,46 para R$ 13,30) e já o lápis de cor (com 12 unidades) caiu 7% (R$ 13,92 para R$ 12,93). Nupes afirma que pesquisa de preço pode render uma economia de até R$ 155,67 Pesquisando o preço máximo e mínimo de cada produto neste ano, o Nupes encontrou diferença de até 319% no preço, como no caso da borracha, encontrada por R$ 0,94 e por R$ 3,94. Com isso, recomenda-se pesquisa de preços antes da compra. "A pesquisa de preços pode produzir uma economia ao consumidor de R$ 155,67", diz o Nupes.
Menos de um mês após tomar posse, o vereador Jessé Silva (SD) renunciou ao cargo de 1º vice-presidente da Câmara de Taubaté. O pedido de renúncia, por escrito, foi apresentado pelo parlamentar na semana passada. Como prevê o regimento interno, o substituto de Jessé no cargo será definido por meio de eleição, que será realizada na primeira sessão após o fim do recesso, no dia 4 de fevereiro. VERSÕES. Nos bastidores da Câmara, segundo apuração da reportagem, a principal versão é de que Jessé teria sido forçado pelos demais integrantes da mesa diretora a deixar o cargo. O motivo: após a eleição vencida em dezembro, ele teria praticado atos considerados incompatíveis com a nova função. Oficialmente, no entanto, a versão é de que a renúncia do cargo foi motivado por razões particulares. "Por motivo pessoal, particular", limitou-se a dizer Jessé. "O que sei é que o vereador nos procurou [a mesa diretora] e pediu o seu desligamento alegando motivos particulares, me dando a entender que era familiar, ou pelo menos foi o que ficou aparente pra mim. Se existe outro motivo, desconheço, até porque não o vi mais por conta do recesso", afirmou o presidente da Câmara, Boanerge dos Santos (PTB). A mesa diretora também é composta por Bilili de Angelis (PSDB), que é o 2º vice-presidente, Digão (PSDB), que é o 1º secretário, e Orestes Vanone (PV), o 2º secretário. PERFIL. Jessé está em seu primeiro mandato na Câmara. Na eleição de 2016, recebeu 1.508 votos. Antes disso, havia atuado como assessor parlamentar do ex-vereador Rodson Lima, que morreu em 2013, e como motorista do prefeito Ortiz Junior (PSDB). No início de 2017, assim como Boanerge, Jessé apoiou a eleição para presidente de Diego Fonseca (PSDB), que comandou a Câmara até o fim do ano passado. O grupo de 11 vereadores ficou conhecido como 'Bancada do Amém', por aprovar sistematicamente os projetos de interesse do prefeito. 'FARRA DAS VIAGENS'. No ano passado, o nome de Jessé ganhou destaque negativo por ser o vereador que apresentou o maior número de notas fiscais irregulares no caso da 'Farra das Viagens', escândalo revelado pelo jornal em julho de 2018. A reportagem detectou 32 notas com irregularidade que foram apresentadas pelo parlamentar em 2017 e 2018, somando R$ 5.354,72 - o que representa 32% de todas as despesas ilegais do caso, que envolve 14 parlamentares, sendo 13 vereadores e um suplente..  
Após dois anos tendo Abner de Madureira (PR) como seu braço direito na Câmara de Jacareí, o prefeito Izaias Santana (PSDB) escolheu o vereador Rodrigo Salomon, também tucano, para assumir a função de líder do governo deixado por Abner - que agora assumiu a presidência do Legislativo. De acordo com o vereador, a posição não deve influenciar significativamente em seu comportamento na Casa. "O meu jeito de ser eu não vou mudar, vou defender somente aquilo que eu achar correto", disse Salomon. Em entrevista a OVALE e a SPRio, Izaias se manteve otimista quanto à troca. "Ele [Salomon] vai articular e desenvolver um papel que tenho certeza que ele é vocacionado. Teremos uma relação de bastante respeito, bastante diálogo, como temos mantido nesses dois anos com a Câmara Municipal", disse. RELAÇÃO. De acordo com o vereador, os pontos de discordância existentes entre ele e Izaias não deverão interferir em sua nova posição, de liderança do prefeito. "O Izaias é muito democrático. Às vezes parece que a gente não está se entendendo, mas um apresenta o ponto do outro e acabamos compreendendo. Existe um respeito muito grande entre nós", disse. No ano passado, o projeto da 'Ficha Limpa Municipal', de autoria de Salomon, foi vetado pelo prefeito. Após o veto ser derrubado e o texto ser promulgado pela Câmara, Izaias entrou com uma ação e conseguiu que o Tribunal de Justiça suspendesse a eficácia da lei. Na ocasião, o vereador justificou a distinção de ideologias. "Não tenho nada contra o meu partido, nada contra o prefeito, mas aprendi e sempre digo nessa tribuna que acima das bandeiras partidárias vai estar o interesse da população", disse o tucano..  
Se até a década de 1970, as crianças por aqui aprendiam a ler com Monteiro Lobato e seu Sítio do Picapau Amarelo; a partir dos anos 1980, Mauricio de Sousa - um dos ávidos leitores do escritor taubateano - tomou a frente na alfabetização com a Turma da Mônica. Anos depois, o sexto nome mais lembrado na literatura nacional se rende a uma homenagem àquele que assina o primeiro lugar nesse ranking: Sousa lança "Narizinho Arrebitado", pela editora Girassol, um livro em que a turma do bairro do Limoeiro visita o sítio. No título, Mônica, baixinha e gorducha, virou a boneca Emília; Magali é Narizinho; Cebolinha é Pedrinho; e Louco viverá Visconde de Sabugosa. "A Turma da Mônica deixou, um pouquinho, o bairro do Limoeiro e foi brincar e viver aventuras no Sítio do Picapau Amarelo. Foi o jeito que a turminha achou para homenagear o grande escritor Monteiro Lobato", escreveu Mauricio de Sousa em seu Instagram. "Tudo isso num lindo livro recheado de fantásticas ilustrações (...) para crianças de todas as idades", continuou. Domínio. A obra do desenhista vem de encontro ao fato do trabalho de Monteiro Lobato ter entrado em Domínio Público, em 1º de janeiro de 2019, conforme já noticiado pelo OVALE. Ou seja, editoras podem agora produzir edições sem a obrigação de pagar direitos autorais aos herdeiros. A expectativa é de que ocorra com Lobato, o mesmo que aconteceu com Saint-Exupéry, cujo trabalho, "O Pequeno Príncipe" virou febre em 2015. No lançamento de Mauricio de Sousa, a obra de Lobato foi adaptada por Regina Zilberman, especialista no autor. O livro deve chegar às livrarias nas próximas semanas. .  
Perto de descartar o financiamento de R$ 800 milhões para a implementação do projeto do BRT (Bus Rapid Transit), o governo do prefeito Felicio Ramuth (PSDB), de São José dos Campos cogita agora um novo empréstimo para outro projeto: o VLP (Veículo Leve sobre Pneus). O novo financiamento, que não teve valor divulgado, seria destinado para obras de infraestrutura, com objetivo de preparar os corredores viários da cidade para receber a nova alternativa de transporte público urbano. "Se vai ser BRT, ou VLP, isso não importa muito. O que importa agora é a gente trabalhar a infraestrutura", afirmou o secretário de Mobilidade Urbana de São José, Paulo Roberto Guimarães. De acordo com a pasta, os trechos prioritários que receberiam as obras são da Avenida JK e a Avenida Pedro Friggi, na zona leste, além de pontos da região central. "O que mais faz perder tempo no transporte público de São José são as operações de embarque e desembarque, e a própria malha viária, por conta da retenção de trânsito", disse o secretário. HISTÓRICO. O projeto inicial do BRT havia sido proposto pelo governo de Carlinhos de Almeida (PT) e teve recurso aprovado teve recurso aprovado pela Caixa. O governo Felicio Ramuth apontou falhas no projeto e propôs mudanças, 'desmembrando' o projeto do BRT para priorizar a fase de infraestrutura. Segundo o prefeito, a prefeitura ainda aguarda uma resposta da Caixa acerca do projeto, enviado com alterações no ano passado, mas afirmou que implantação de um projeto VLP como opção de transporte público é 'irreversível'. "Qual é a diferença do BRT e o VLP? É um veículo não poluente, o corredor em si pode ter características similares. São José quer dar o primeiro passo", disse Ramuth. A Caixa afirmou que ainda aguarda um posicionamento do governo sobre as próximas providências..